Blog

Veja aqui as noticias do nosso blog.

Metodologia Coordenando-se: para todos poderem dançar

Lu Braga lançou o segundo volume do método este semestre e já roda o país disseminando o trabalho

Por Marcela Benvegnu | marcela@trinys.com.br

Aqueles que já passaram pela timeline da Lu Braga já conhecem um pouco do que é a Metodologia Coordenando-se, que no último ano ganhou as redes por meio de vídeos incríveis que mostram crianças, jovens, adultos da melhor idade em atividades lúdicas e de coordenação motora, das quais às vezes pensamos: Isso deve ser muito difícil. Mas ela logo explica que não é. “Tudo é uma questão de coordenar-se”. Lu já ministrou oficinas em todo o Brasil para ensinar a aplicação desta metodologia que ajuda no trabalho de corpo para a dança. E se você ainda não conhece o método, entre em @metodologiacoordenandose no Instagram, apaixone-se e só então volte a ler esse texto!

Lu Braga

Mineira de Belo Horizonte, mas radicada em Vitória, no Espírito Santo, há mais de 20 anos, ela criou esse método quase que intuitivamente. “Quando a minha filha era pequena, o quarto dela era longe do meu e, para que ela pudesse chegar ao quarto com facilidade e segurança criei emborrachados ligando um espaço ao outro”, conta Lu. “Com o passar do tempo fui criando outras atividades até que levei os emborrachados para dentro da minha escola (CriDança) e comecei a fazer um laboratório com os alunos. Logo vi que os resultados de coordenação eram eficazes”, completa.

A Metodologia é baseada na associação de figuras, cores e partes do corpo, na qual a maioria das atividades propostas implica no deslocamento da criança. Algumas formas, são por exemplo: o círculo grande rosa significa duas mãos, o círculo rosa pequeno, palmas. Já o círculo lilás pequeno: mão na cabeça, o quadrado grande:  pés (azul e verde), o quadrado pequeno: calcanhar, e um triângulo significa o joelho. Lu ainda criou muitos outros elementos que são possíveis de aprender na metodologia como bumbum, calcanhar, barriga, testa, pé direto, esquerdo, costas, cabeça, dedos dos pés, cotovelos, ombros, entre outros.

Livro Coordenando-se - Volume 1

“Quando resolvi patentear a metodologia, vi que precisava escrevê-la, fazê-la ter sentido, coerência. Assim criei diferentes atividades que podem ser aplicadas em sala de aula. No Coordenando-se 1 temos 8 atividades e o livro acompanha os emborrachados para que o professor possa trabalhar”, conta a autora que é bailarina profissional formada pela Fundação Clóvis Salgado (Palácio das Artes) e graduada em Licenciatura Plena como Educadora Física pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais).

O CriDança tem 16 anos e sua diretora artística divide a história da escola antes de depois da aplicação da metodologia. “Muitos me dão feedbacks que as crianças são inteligentes espacialmente, que tem raciocínio lógico, que aprendem a coreografia rápido. Acredito que todos possam se beneficiar com a metodologia e o professor sempre pode criar diferentes níveis de dificuldade para os alunos. Trabalhamos os conceitos de psicomotricidade dos 3 ao s 9 anos, mas isso não significa que não possamos aplicar em outras faixas etárias”, fala.  

O recém lançado livro 2, também conta com 8 atividades inéditas e um capítulo totalmente dedicado a motricidade fina. “O livro de atividades ganha exercícios de escrita, corte, pintura, carimbos. As figuras fazem uma ponte com a matemática e ganham número, peso. Sem contar que neste volume também temos exercícios de musicalização. Fomos aprendendo a desenvolver outras potencialidades do corpo, como liderança, organização, foco, trabalho em conjunto.”, completa a autora. Ambos os volumes têm ilustrações de Ilvan Filho, um grande parceiro das ideias de Lu, que atualmente é pós-graduanda em Neuropsicopedagogia pela Censupeg, com intuito de cada vez mais fundamentar, solidificar e intensificar suas ações educacionais.

SOBRE APLICATIBILIDADE

“Uma aula de baby class e ballet infantil de excelência requer diversos trabalhos. Além dos elementos de iniciação à técnica clássica, eu preciso trabalhar o emocional para que essa criança seja autônoma, esteja segura dentro da atividade, temos que fazer o trabalho ritmo, mas base é o trabalho psicomotor. A Metodologia Coordenando-se tem um trabalho maravilhoso na questão de trabalhar a motricidade global, motricidade fina e a memorização. É excelente e um dos recursos fundamentais para estar em aulas com crianças, jovens e adultos não só para o ballet, mas para qualquer tipo de aula”. Paola Bartolo, diretora do Núcleo de Qualificação para Professores. É especialista em baby class e ballet infantil.

“A Metodologia Coordenando-se além de encantadora e divertida é extremamente eficaz quanto ao seu maior propósito: despertar e refinar a coordenação daqueles que dela se utilizam. Trabalhar com crianças é algo muito precioso. As escolas e os professores que se propõem a atender essa “clientela” têm que ter em mente que o brincar é algo levado muito a sério pelos pequenos. Vejo a metodologia de Lu Braga como uma excelente ferramenta para trabalharmos e estimularmos em sala de aula a coordenação motora dos alunos de forma leve e descontraída. Além de trabalhar a coordenação motora global, as atividades estimulam a memória, a socialização, para os bem pequenos há um processo de identificação das partes do corpo, formas geométricas, cores e agora, no Coordenando-se II, vem o trabalho da coordenação motora fina, tão importante para as crianças, principalmente àquelas que estão em fase de alfabetização. Alunos que antes se esbarravam em tudo e em todos, que tinham dificuldades espaciais e acabam por começar a compreender melhor seu espaço, o espaço do outro e o do ambiente; alunos que passam a conseguir fazer movimentos cruzados (braço direito com perna esquerda) ou começam a conseguir dissociar o movimento de membros superiores de inferiores algo tão comum, e digamos que complexo, na dança. Eu considero uma ferramenta muito bacana para os professores de dança, pedagogos, educadores em geral e, até mesmo, pais. Aprender brincando, tem algo mais maravilhoso que isso?”. Maria Cristina Bonfiglioli, diretora artística do Meraki Studio

“Fiz o curso da Lu Braga no Seminário de Baby Class e Ballet Infantil, do Núcleo de Qualificação Paola Bartolo, e achei muito interessante. Ela me inspirou para trabalhar dentro da metodologia que uso em sala de aula, os saltos (jumps) como um pé só, ou ambos. Ela foi inspiradora nesse aspecto de trabalho voltado para dança. As minhas alunas adoram os exercícios”. Mariana Kuntz, professora de ballet formada pela RAD (Royal Academy School) em várias escolas de dança

“É uma excelente ferramenta para trabalharmos a coordenação motora dos nossos alunos, além de fazê-los conhecer as partes do corpo. O método é muito versátil, pois o professor pode adaptar e/ou criar os exercícios para crianças a partir de três anos. Sem contar que ele pode ser usado em todas as modalidades como balé clássico, jazz, sapateado. Outro ponto interessante é que é uma atividade divertida, as crianças adoram quando a gente usa o Coordenando-se na aula. Enquanto nós professores, estamos trabalhando lateralidade e conhecimento do corpo, mas as crianças estão brincando. Elas ficam conectadas com você.  Além de ter as cores, sendo que cada uma representa uma parte do corpo, cada forma também tem a sua representação: os quadrados, por exemplo, representam as partes inferiores e os círculos as partes superiores do corpo. Estou louca para conhecer o Coordenando-se II. Adoro o método”. Cássia Ramos, professora de balé e diretora artística do Espaço Cássia Ramos Ballet & Cia.

PARA SABER MAIS: www.metodologiacoordenandose.com.br ou

@metodologiacoordenandose no IG.